Sesa’s Jukebox (Garotas Suecas)

Depois de balançar os Estados Unidos com sua quarta turnê pelo país e, mais especificamente, o festival South By Southwest, o Garotas Suecas está de volta à nossa querida terrinha. E enquanto o aguardadíssimo disco de estreia não sai, Sesa, o guitarra do Garotas, se dispôs a bater um rápido papo aqui com a gente. Perde não:

E o hype? – o que você tem escutado de novidade?
Vale Sharon Jones And The Dap-Kings?

Good Times Bad Times – qual banda/artista sempre esteve ao seu lado, fazendo, por mais piegas que isso possa soar, a “trilha sonora de sua vida”?
Bob Dylan, né, bicho?

Do the D.A.N.C.E. – o que não pode faltar na hora de soltar a franga na pista?
O sacana do Sly & The Family Stone.

Como surgiu a ideia de lançar, antes mesmo de um disco completo, um vinil de 7 polegadas da banda com apenas 2 músicas e apenas nos EUA?
A ideia de lançar o vinil é porque trabalho de verdade tem que ser lançado em vinil. E só lançamos nos EUA porque foi lá onde um selo se interessou em fazer um lance legal com a gente, e o compacto foi justamente o primeiro contato pra vermos como o trabalho com eles rolaria – se a prensagem ficou na pressão, se a arte tá bem feita, essas coisas. Ainda não sabemos como vamos lançar o disco no Brasil – e ele tá ficando foda, viu? (Viu, Sr. Dono de gravadora?)

Você não vale nada mas eu gosto de você – todo mundo tem um guilty pleasure, vai. Aquela banda que você só arrisca escutá-la quando não tem ninguém por perto e, de preferência, com fones de ouvido:
Pootz, já curti muito Millencolin. Ainda ouço de vez em quando.

  • carlos

    po! millencolin foi a melhor coisa que esse cara citou!