the hype & expectations

O hype realmente muda seu “foco” de tempos em tempos. No começo da década, toda a atenção era voltada pras bandas de moleques bêbados que salvariam o rock: The Strokes em NY e, do outro lado do Atlântico, The Libertines. Os Strokes ainda tão por aí, prometendo álbum novo ainda este ano. Já o The Libertines (piadinha nova: tão dando um tempo na carreira. FAIL!) sucumbiu a loucura de Pete(r) Doherty e ensaia uma volta pra nem-Deus-sabe-quando.

Dando um tempo na carreira. (pegaram a piadinha nova? FAIL)

De meados dos anos 00′ até o ano passado, o hype mirava quase que exclusivamente as bandas que foram influenciadas principalmente pelas duas já citadas (Arctic Monkeys, The Pigeon Detectives, The Rifles, Kaiser Chiefs, The Kooks, The View, etc…) e as bandas de um novo estilo surgido nas noites inglesas, o new-rave (cadê o Klaxons, meu Deus?).

Já 2008 foi centrado em molecadas barulhentas que faziam rock misturado com muita música eletrônica (Cut Copy, Friendly Fires, Does It Offend You, Yeah) e em vários revivals. Não só de bandas mas de estilos musicais também. O mais hypado foi, com certeza, o folk. Isso fica evidente quando se olha artistas que despontaram no Brasil (Vanguart, Mallu Magalhães, e por aí vai…) e as listas de melhores discos do ano passado: ocupando os primeiros lugares da maioria delas estavam Fleet Foxes e Bon Iver.

Little Boots

2009, pelo menos até o presente momento, mostra o poderoso e temido hype apontando na direção do indiepop com várias influências eletrônicas (oi?!). Nomes como Matt & Kim, Little Boots, La Roux, Calvin Harris e Passion Pit são recebidos com tremendo entusiasmo nas comunidades musicais e blogs quando um álbum de algum dos citados cai na rede. E não falo isso num sentido ruim. Pelo contrário. Como o Alex deve falar aqui depois sobre o Passion Pit, vou me limitar a dizer que é um dos discos mais divertidos, empolgantes e dançantes (não “disco-style”, mas sim “balançar-a-cabeça-style”) que eu escutei ultimamente.

Fui apresentado ao novo do Matt & Kim há pouco tempo e também só tenho elogios. Parece uma inusitada reunião de dois amigos que resolveram brincar de bateria e teclado da forma mais descompromissada possível em algum estúdio e ver no que dava. Sobre Little Boots e La Roux, os vídeos que já saíram me deixaram empolgados pra escutar um disco inteiro de ambos (ou ambas?).

Passion Pit

Agora é sentar e esperar pra ver quanto tempo essa nova “safra” do hype irá durar. Pelo que se constata nos últimos anos, a visibilidade e notoriedade das bandas estão durando tempo suficiente pra lançarem um disco e logo depois elas caem no esquecimento. Não por serem ruins, mas pela quantidade absurda de novos artistas que surgem e ocupam o cargo de “The next big thing” quase diariamente.

Por isso é sempre bom “ter na manga” alguns artistas preferidos e imunes a máquina do hype. Por exemplo, pra 2009 ainda, minha ansiedade reside na espera dos novos discos do Interpol, Muse, Cachorro Grande e Kings of Convenience. E claro, The Strokes e Arctic Monkeys também estão na lista, já que é sempre bom salvar o rock de tempos em tempos.

Pra quem AINDA não conhece:
La Roux – In for the kill
Passion Pit – Sleepyhead
Matt & Kim – Lessons learned
Calvin Harris – I’m not alone
Little Boots – New in town

  • Apesar do hiato na carreira (hahahahaha) do Libertines o cd do Pete ficou legal! Falando na Mallu(ca) Magalhães, fiquei sabendo que agora é a vez dela gravar um Multishow Registro, confere? Tchubaruba!

  • Da listinha abaixo, só conheço Matt & Kim, que fui ‘descobrir’ recentemente. Os outros, só conheço por nome, mas darei um jeito de resolver isso =)

    E que venha o novo do Interpol! \o/

  • ygor

    e o esser? nao sei pq o mtj nunca fala do esser. braveface eh excelente!