Tha Last Shaddow Puppets - Everything You’ve Come To Expect

Tha Last Shaddow Puppets
Everything You’ve Come To Expect

Domino

Lançamento: 1/04/2016

Texto: Clarissa Fortes

Habemus Puppets! Quando esperamos muito tempo por algo, no momento em que este finalmente chega parece que fica ainda melhor. Arrisco dizer que se este novo disco, Everything You’ve Come To Expect, tivesse sido lançado 2 ou 3 anos depois de seu debut, e não oito, talvez houvesse muita gente dizendo que este álbum é “mais do mesmo”.

O tempo que ficamos sem nenhum material novo do The Last Shadow Puppets nos ajuda a perceber alguns detalhes que indicam o que há de novidade neste trabalho. Este álbum contém elementos de seu antecessor, The Age Of The Understatement, com sua já conhecida aura de filme 007 e grandes arranjos sinfônicos. Todavia, traz muita coisa experimental com Alex Turner e Miles Kane acertando em cheio nas suas apostas. Mas é inegável que o grande hiato ajudou a deixar o disco irresistível.

Tudo começa com “Aviation”, faixa responsável por fazer a dupla retomar seu projeto paralelo. Esta que é uma ponte de transição perfeita do disco de 2008, porém mais ensolarada, “é a mais ‘Puppety’ do álbum” disse Kane. Está dentro da zona de conforto dos fãs, mas ao mesmo tempo os encoraja a experimentar os riscos sonoros belamente tomados pelo TLSP.

Violinos agonizantes, gritos de Miles Kane e letra sem muito sentimentalismo. “Bad Habits” foi o single responsável por anunciar a volta do TLSP. Quando isolada do resto do álbum parece destoante da temática habitual da dupla, e na época até desapontou alguns fãs. Porém, conhecendo bem as personas dos dois integrantes, já é esperado algum tipo de fuga do lugar-comum. É por isso que incluída no miolo do disco ela cai muito bem como um escape de toda a situação melodramática.

“Sweet Dreams, TN” é o destaque do álbum. A canção vai crescendo aos poucos até atingir seu ponto culminante em uma explosão da orquestra, como que representando o apaixonado visceral que está incorporado em Alex Turner. Sua voz passeia entre diferentes tons com perfeição e potência vocal. Harmonize isso com o belíssimo instrumental e então temos o momento mais grandioso do disco. É o apogeu vocal de Turner. Algo a se destacar nesta faixa é a enorme semelhança do fundo orquestral com o instrumental de “Runnin’ Scared” (1961), de Roy Orbinson. Aliás, já foi confirmada pelo TLSP a influência sessentista e setentista em seus trabalhos.

Algo que se nota é que no primeiro álbum quase todas as faixas mostravam as vozes dos dois integrantes igualmente apresentadas, num duelo e ao mesmo tempo complemento vocal. Agora, neste registro mais recente, a maioria das músicas é dominada unicamente por Turner. A voz de Miles parece ocultada. É uma pena, pois a harmonia sonora de Alex e Miles faz falta no disco.

Então em um momento de carência dessa união, surge “Used To Be My Girl”. Depois de metade da música apresentar os dois integrantes cantando separados, temos a dupla nos dando uma breve benção de seu uníssono. Contudo não é totalmente satisfatório porque não chega nem perto da harmonia de The Age Of The Understatement.

“The Dream Synopsis” fecha o disco mostrando devaneios dissolvidos de Alex Turner embalados por um piano suave. Essa faixa nos faz passear pelo subconsciente de Turner e dar uma espiada dentro dessa mente  de onde saem tantos registros memoráveis.

Se The Age Of The Understatement nos remete a algo sombrio e a imediata comparação com os Beatles, EYCTE nos leva a algo instigante, sensual de um jeito luminoso. É um álbum de letras angustiantes que traz consigo doses de ansiedade. Entretanto tudo isso é posto de uma forma muito bonita e romântica dentro de melodias envolventes, o que traz certo equilíbrio. É mais desacelerado que o primeiro registro, porém suavemente dançante (processo parecido com o do Arctic Monkeys, banda principal de Turner que em seus primeiros discos trazia um indie rock mais acelerado e menos ritmado).

Mas afinal, Everything You’ve Come To Expect é realmente “tudo o que esperávamos”? Talvez. Mas não podemos confundir um álbum previsível com monótono. Esta é apenas a fórmula de sucesso que o TLSP adotou que nós já conhecemos, e dentro dela há a liberdade de inovação. A qualidade do álbum e da produção como um todo nos faz sentir sortudos de poder ter acesso a estas músicas. É a satisfatória e familiar sensação de saber que se está ouvindo um som do The Last Shadow Puppets.

Escute Everything You’ve Come To Expect no Spotify:

Leia também