Tokyo Police Club na festa do Jack Daniel’s

É engraçada a lógica de mercado que faz com que uma banda como o Tokyo Police Club só consiga vir tocar no Brasil por intermédio de uma empresa de bebidas. Vibrante, cheia de boas músicas e com letras que vão além da farofa indie de sempre, a banda possui carisma suficiente para segurar um show no Studio SP ou no Estúdio Emme, por exemplo.

É menos engraçado o resultado: enquanto dezenas de “convidados” (na verdade, não era preciso muito esforço para conseguir ingresso) se dividiam entre beber uísque de graça e esconder os copos nas bolsas para levar embora, a banda fazia um show fantástico para duas dúzias de interessados.


Mas isso é mais problema nosso do que da Jack Daniels, que trouxe os canadenses como atração da festa de aniversário de 161 anos do cavalheiro que nomeia o destilado. Com produção quase impecável (friso no “quase” – os banheiros químicos foram de lascar), a festa foi divertida e bem servida, como se poderia esperar.

Quem foi só para ver a banda também não se decepcionou. O show do Tokyo Police Club é uma explosão de músicas rápidas e refrões cantaroláveis. Enquanto a bateria minimalista de Greg Alsop dita o ritmo, o baixo agudíssimo do vocalista David Monks se assegura de dar um toque britânico ao som, que é uma espécie de híbrido entre o pós-punk da década de 80 e a cena alternativa do início dos 90.

Soa melhor escutado que explicado, claro. E o set da banda foi generoso nesse sentido: com muitas músicas do ultimo álbum, Champ, ele também trouxe faixas mais antigas e conhecidas, como “The Nature of Experiment” e “Your English Is Good”.

Houve poucos momentos lentos no show e as interações da banda com a plateia, embora curtas, eram sempre correspondidas. “Favourite Color” abriu os trabalhos com energia, enquanto a trilogia “End of a Spark”, “In A Cave” e “Tessellate” foi recebida com animação pelos fãs. Para finalizar, os versos deliciosos de “Wait Up: Boots of Danger” abriram caminho para o rompante final de “Your English Is Good”.


Com quinze músicas – um pouco mais do que eles têm tocado em festivais – o Tokyo Police Club se despediu rápido: o show não durou nem sessenta minutos. Foi suficiente. Formado por um bando de garotos, grupo se mostrou confortável no papel de banda indie e descompromissada, que abraça a parte divertida do trabalho. Monks até pendurou em seu baixo um dos bigodes falsos distirbuídos pelo evento.

É claro que, segundos depois do show, as pessoas já estavam mais interessadas nos cupcakes oferecidos pelas garçonetes e nas camisetas promocionais disitribuídas na chapelaria, mas, neste evento para coluna social, o rock fez sua parte na parte que lhe coube. E o Tokyo Police Club deixou o palco seguro de que nenhum de seus associados saiu desapontado.

Fotos por Cynthia Laus

  • Mateus

    Deve ter sido um bom show mesmo. Mas o Tokyo Police Club já veio ao Brasil antes, no Planeta Terra de 2007.

  • Alini Pinto

    Como smp as pessoas q tem acesso a esses eventos estao se lixando pra qm esta tocando, enquanto os fas de vdd ficam aguardando o momento que a banda vai aparecer em sua cidade ! TPC merecia tocar em um lugar melhor e com pessoas melhores.

  • Romulo

    Agora TPC no Brasil pela PlayBook!!!! http://www.playbook.com.br

  • M Salviano

    data do show, cade?

  • ANa

    Enquanto pessoas desinteressadas vão ao show, fãns de verdade ficam em casa.