Toro Y Moi – Freaking Out

Em sua estreia, com Causers of This, a banda-de-um-homem-só Toro Y Moi entregou um lo-fi cheio de climas etéreos e experimentalimos. Mais pop, o segundo trabalho, Underneath the Pine, demonstrava uma inclinação de temas mais eletrônicos com boas melodias pop. E no ótimo EP Freaking Out, Chazwick Bundick coloca toda sua veia soft-electro para trabalhar e cria 20 minutos que irão servir tanto para você dançar na pista, quanto dar aquela desestressada no trabalho.

Em 5 músicas, o Toro Y Moi, que vem ao Brasil como uma das atrações do Festival Planeta Terra, pega os momentos mais acessíveis de seu disco anterior e os coloca com roupagem de pistinha indie, com ótimos refrões e linhas de baixo que clamam por algum movimento corporal. “All Alone”, abertura e o grande hit do EP, tem guitarra minimalista, vários sintetizadores e camadas e a voz de Chazwick ecoando levemente num refrão facilmente cantarolável.

“Freaking Out”, de ritmo mais acelerado do que os padrões usados pela banda, e “Saturday Love”, cheia de melodias vocais memoráveis, são hits em potencial pra quem curte atacar de DJ aos fins de semana. E falando na pista, a disco music de outrora é a grande influência da surpreendente “Sweet”, música quase somente instrumental e cuja audição deixa você pensando naqueles globos brilhantes de danceterias. E isso está longe de ser um ponto negativo.

Aliás, fechando com a longa e densa “I Can Get Love”, Toro Y Moi mostra que não entende muito bem o que é ponto negativo. Aos 24 anos, Chazwick já tem vários EPs e 2 álbuns lançados – e, à medida que ganha confiança para buscar novas facetas (mais eletrônicas, nesse caso), espanta pra longe possibilidades de perda de controle de seu som e loucuras pontuais. Essa parte ele prefere extravasar somente no título.