Wavves – King of the Beach

Depois da barulheira não muito convincente de Wavvves – segundo trabalho do Wavves, lançado em 2009 -, Nathan Williams recrutou 2 músicos que tocavam com Jay Reatard, juntou a inúmeras influências e entregou um dos discos mais completos e divertidos do ano.

Em King of the Beach, o Wavves encarna desde punk rock descomprometido até nuances de psicodelia indie resgatadas do Animal Collective, por exemplo. No meio do caminho, você ainda encontra o incrível noise pop de “Idiot” e “Post Acid” e resquícios de Tokyo Police Club em “Green Eyes”. O Of Montreal aparece como boa referência nas duas excelentes faixas que encerram o disco: “Convertable Balloon”, com suas palminhas descontraídas e gritinhos, e “Baby Say Goodbye”, cujos minutos finais se transformam numa zorra cheio de efeitos ensurdecedores.

E o mais incrível nessa esquizofrenia toda é que o Wavves não só soube brincar com maestria entre tanta influência – até porque, cada faixa de “King of the Beach” é um hit em potencial -, como também fez isso em pouco mais de meia hora. Mas até parece que você não vai voltar na primeira música quando descobrir, num misto de surpresa, empolgação e tristeza, que o disco acabou.

Resenha publicada originalmente na edição 36 da revista Noize.

  • Venâncio

    “E o mais incrível nessa esquizofrenia toda é que” …… ahhahahahahaha ……