Zaz faz apresentação divertida e para cima em SP

Zaz em show do Espaço das Américas em São Paulo. Foto: Amom Borges/Folha de S. Paulo/Google Images

Texto Lid Capitani

Casas parisienses no telão ao fundo, palco bem iluminado, com luzes piscantes que interagiam com as músicas e com uma banda de apoio simpática e talentosa, Zaz se apresentou no Espaço das Américas no dia 2 de abril, com o show da turnê ‘Mise en Scene’. A casa estava lotada, com um público animado de todas as idades, que dançava e por vezes arriscava cantar em francês com a cantora.

Numa mistura de hits dos três álbuns de carreira,Zaz (2010), Recto Verso (2013) e Paris (2014), Zaz fez um belo show que não deixou ninguém parado no lugar, e que nos transportou para as ruas de Paris, talvez num bar de esquina ou num cabaret movimentado.

A cantora já adentrou no palco com muita animação, acenando para o público, dançando e até arriscando um português. Logo de primeira a cantora tocou teremim, instrumento composto por duas antenas de metal que são sensíveis a posição da mão. Pode parecer difícil, mas ela tocou com maestria diversas vezes durante o show.

A primeira parte da apresentação foi composta por suas músicas características, aquele jazz popular animado e dançante, em que a iluminação e o telão ambientavam o público numa Paris comum, de sobrados pequenos e ruas estreitas. Ela se mostrava a todo tempo muito carismática, chamando as pessoas para reagirem, baterem palmas, dançar, gritar, enquanto ela soltava sua voz rouca e grave.

Na segunda parte do show, ela resolveu mostrar um outro lado do seu potencial artístico. Zaz apresentou canções mais eletrônicas, remixes de outras músicas de sua autoria, com inspirações do dubstep e com uma pegada mais agressiva. Tanto que as projeções e as luzes mudavam para caracterizar um ambiente mais sombrio.

Depois, voltou ao seu jazz contemporâneo dançante, como seu maior hit “Je Veux” que a lançou mundialmente, e que fez o público cantar junto. Em certo momento da apresentação, a cantora parou o show para falar sobre seu projeto social, o ZAZimut, que ajuda ONG’s locais das cidades que visita em sua tour. Assim, o merchandising da apresentação foi todo revertido para as ONG’s que ajuda, e em sua visita em São Paulo, a cantora divulgou o trabalho do grupo Mangalô, que tem como objetivo construir casa ecológicas para famílias de situações vulneráveis.

Ao se despedir da plateia, ela foi ovacionada e com pedidos de bis, que foram atendidos. A banda voltou ao palco para mais três músicas, sendo uma um cover de “Dans Ma Rue” de Edith Piaf, e um samba em português de Vinícius de Moraes, “Samba em Prelúdio”. Por fim, com uma salva de palmas e gritos entusiasmados, Zaz finalizou sua apresentação em São Paulo com muita emoção e carisma.