Two Door Cinema Club – Tourist History

Quando se trata de música, existem três coisas que me emocionam homericamente: O anúncio de um novo álbum do Radiohead (dãr), a confirmação de shows internacionais no Brasil e, por mais besta que isso possa parecer, ver uma banda estreante com uma agenda lotada no MySpace. Alex Trimble, Kev Baird e Sam Halliday, garotos que formaram o Two Door Cinema Club na Irlanda do Norte há cerca de três anos, se encaixam perfeitamente nessa terceira descrição: O trio tem aproximadamente 35 apresentações agendadas por toda Europa entre 2 de março e 17 de abril para divulgar seu álbum de estréia, Tourist History. E já me adianto: é um discaço pra quem curte electro-pop atual.

Lançado em 2008, o EP Four Words To Stand On já nos dava uma idéia do que esperar do debut do Two Door Cinema Club, mas o trio ficou muito mais interessante em seu full-lengh. Trocando algumas frações de guitarras por um ritmo dançante que flerta (e muito) com a música eletrônica, o grupo encontra-se perdido em algum lugar entre o electro do Delphic e o indie-rock Death Cab For Cutie (nos primeiros momentos de “I Can Talk”, inclusive, a voz de Alex Trimble nos remete imediatamente a de Ben Gibbard).

Mais de uma vez, as guitarras – que formam a essência da maioria das músicas de Tourist History – parecem se inspirar na euforia do Vampire Weekend e, em faixas como “Cigarettes In The Theatre”, a batida afro de Ezra Koenig também dá as caras. Essa é somente uma das dezenas de referências que podem ser encontradas ao longo do disco, já que a originalidade não é bem o forte – ou a proposta – dos irlandeses: Foals, Phoenix, Friendly Fires, Bloc Party e Hockey também parecem marcar presença no álbum, mesmo que seja de forma passageira.

“Undercover Martyn”, lançado como single no final de fevereiro, já merece troféu de melhor música do ano pelo poder de catchiness do seu refrão (“to the basement, people!”), deixando-a pau-a-pau com “Come Back Home”, que exemplifica como seria uma música de Dan Black se o rapaz fosse menos meloso.

“Eat That Up, It’s Good For You”, que abre a dobradinha de finalização do álbum, não se contenta com a genialidade de seu título e vai além, explorando uma mesma vibe easy-listening bem agradável. Honrando os 100% de aproveitamento do disco, o Two Door Cinema Club não deixa a peteca cair (oi?) nem na última música de Tourist History, sem se render ao clima de fim de viagem que costuma assombrar faixas de encerramento. Nem pense em não dar uma chance pra essa molecada irlandesa.

9 Comentários para "Two Door Cinema Club – Tourist History"

  1. Vocês postaram o vídeo acima um tempo atrás com um comentário suspeito de que a banda é legal, clipe legal, música legal. Cético que sou, fui confirmar: vocês são muito legais e têm toda razão. Essa banda é phoda. Eu a ouço todos os dias e toda hora. Vou ser mais objetivo: quando eles veem ao Brasil? Um grande abraço. Ah! sim: esse é o melhor blog de músicas. Parabéns!! 😀

  2. Graças à matéria feita com a Claudinha do Copacabana
    conheci os citados, e desde ontem estou a escutar
    sem parar o cd destes Irlandeses!
    Agora leio esta matéria super bacana e concordo
    com cada substantivo, adjetivo e preposiçao utilizados!
    Mas fica aqui registrado que graças à Claudinha
    que conheci os mesmos!

  3. Disco muito bom. Antes eu ouvia Undercover Martyn todo dia, agora ouço o disco inteiro todo o dia…hahahaha

  4. Cara! Esses caras são muito bons mesmo! Desde aquela track “Something good can work” que saiu na ultima Kitsune music eu acompanho eles.
    Quando eu vi que tinha álbum novo eu me adiantei e fui ver qual era a dos caras, pra ver se a coisa continuava boa, porque aquela track não saia das minhas playlists. E não é que eu gostei?
    Comecei ouvindo bastante “Undercover Martyn”, mas minha favorita acabou sendo “What you know”; é claro que muitas outras são ótimas, o álbum pode ser ouvido tranquilamente sem ficar selecionando tracks, o que me irrita em muitos casos em que se precisa ser seletivo.
    Sucesso a esses garotos, eu boto fé.

  5. Pingback: Move That Jukebox! » Clipe: Two Door Cinema Club – Something Good Can Work

  6. Pingback: Move That Jukebox! » Two Door Cinema Club toca “I Can Talk” no programa de Jimmy Kimmel

  7. Esses caras são muito bons mesmo! Dancei sozinho na minha cadeira o álbum inteiro, huahUUA. Aliás, o clipe acima eu ainda não tinha visto, gostei muito, principalmente na parte onde eles aparecem em “negativo”: as guitarras são trocadas. A Fender Strato vira uma Telecaster (se não me engano) e a outra, vira uma Gibson Les Paul! Não notei quanto ao baixo… hehe.

  8. Pingback: Tô ouvindo: Two Door Cinema Club | Garota Ácida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *